Responsive Ad Slot

Corrida da Galinha

Corrida da Galinha

Dicas: Evite os principais erros de currículo

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

/ Por: Naldinho Oliveira
Principal ferramenta de apresentação profissional para oferecer-se a vagas de emprego, o currículo parece não ser tratado como merece. Segundo os recrutadores, tanto nas versões impressas quanto online, vários erros simples – e corrigíveis – comprometem a qualidade do conteúdo e até mesmo as chances do candidato. 

“É preciso que as informações sejam verdadeiras, relevantes e objetivas. Além de valorizar o conteúdo do candidato, facilita o processo de avaliação, diminuindo a margem de erro por parte do avaliador”, comenta a gerente nacional de Recrutamento e Seleção do ManpowerGroup, Lisângela Melo. Na arte ao lado, está um resumo de dicas que ela e a sócia e consultora da Ágilis RH, Eline Nascimento, dão sobre os principais erros ainda cometidos nesses documentos.

“O que vemos muito também são currículos extensos e sem foco. Ao final da leitura, o avaliador acaba sem entender o que a pessoa realmente fez nas empresas por onde passou”, alerta Eline. Ela acrescenta uma orientação: sempre colocar as experiências mais recentes no topo da lista, fazendo uma ordem decrescente e marcando em cada uma o mês e o ano da entrada e da saída. 

As especialistas comentam que o currículo impresso ainda está em uso, mas que as empresas já ofertam formulários online para coletar as informações, que já entram diretamente no banco de talentos da companhia, contendo exatamente os dados que ela precisa. “Em geral, o impresso é mais usual nos cargos de nível médio. A procura por profissionais para cargos mais altos praticamente já extinguiu essa modalidade e é totalmente online”, pontua Eline, ao citar, entre as ferramentas, a rede social LinkedIn. 

Outro recurso que pode ser usado é o videocurrículo, mais presente em processos seletivos em outros países. “Ainda é raro, mas é bem visto”, diz Liziane. “Usamos o vídeo muito mais para entrevistas, seja em tempo real ou gravada”. Mas ela diz que se o candidato optar pela ferramenta, deve se portar como se estivesse em uma entrevista ao vivo, considerando o padrão de vestuário, a linguagem e a expressão corporal adequados para a apresentação à empresa onde ele quer trabalhar.

Independentemente da plataforma, a atenção às informações, que devem ser bem formuladas e apresentadas de acordo com o perfil da área pretendida, ainda é fundamental para “vender o peixe” do candidato.

Do JC
Mais
© TV SBUNA de Comunicação
Todos os direitos reservados.